terça-feira, 31 de janeiro de 2012

FBI vai monitorar Redes Sociais em Tempo Real

Sorria você foi localizado!

FBI está analisando a possibilidade de utilizar um aplicativo web para monitorar redes sociais em tempo real, que possibilite localizar e extinguir ameaças iminentes e para tal recorre a empresas.


O FBI quer um aplicativo "Open Source and social media alert, mapping, and analysis application" (Aplicação de código aberto para alerta de mídia social, mapeamento e análise) que seja capaz de pesquisar e "varrer" as redes sociais e sites de notícias, envolvendo o micro-blog Twitter e a rede social Facebook. A aplicação deve ter a capacidade de rapidamente, reunir as informações consideradas críticas e a inteligência que permita que o Centro de Operações e Informações Estratégicas (do FBI) possa, rapidamente, vetar, identificar e geo-localizar os eventos de ameaças emergentes.


A ação terá a finalidade de notificá-los sobre estes eventos, e mostrá-los em serviços específicos como Google Maps, ESRI, Yahoo Maps, e afins; isso tudo de acordo com a prioridade das situações, e tendo a capacidade de resumir rapidamente ameaças e incidentes, e enviar estes resumos aos escritórios do FBI que estarão envolvidos nesse amplo e intenso trabalho.

Os planos da agência foram descobertos pela equipe da revista New Scientist. A notícia veio à tona na mesma semana em que o Google e o Twitter divulgaram mudanças nos termos de privacidade e no controle das informações publicadas pelos usuários. Apesar de ter recebido uma enxurrada de críticas quanto a possíveis invasões de privacidade, o governo americano manteve sua posição: posts e tweets são informações públicas e, portanto, passíveis de serem acompanhadas sem qualquer tipo de infração legal.

Confira aqui detalhes do projeto.

Social Media Application

Existem inúmeras empresas oferecendo serviços de monitoramento e análise de dados em redes sociais com o objetivo de identificar consumidores em potencial, medir a relevância das marcas e o impacto de campanhas publicitárias. Agindo tanto em posts públicos, ou particulares, através de jogos ou aplicativos, desde que o usuário permita, podem ter acesso a  informações tais como amigos, posts, comentários, etc.

Só não está claro como será traçado o perfil terrorista e como nossos comentários nas redes sociais serão interpretados pelo serviço secreto que recentemente deteu e expulsou jovens britânicos por fazerem brincadeiras consideradas terroristas sobre os EUA. Leia a matéria no TechTudo.


Fonte: BBC e New Scientist

Atualizações